29 março, 2007

Perdoar por amor.


Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos,
se não tiver amor,
sou como um bronze que soa
ou um címbalo que retine.
Ainda que eu tenha o dom da profecia
e conheça todos os mistérios e toda a ciência,
ainda que eu tenha
tão grande fé que transporte montanhas,
se não tiver amor, nada sou.

Ainda que eu distribua todos os meus bens
e entregue o meu corpo para ser queimado,
se não tiver amor, de nada me aproveita.

O amor é paciente,o amor é prestável,
não é invejoso,
não é arrogante nem orgulhoso,
nada faz de inconveniente,
não procura o seu próprio interesse,
não se irrita nem guarda ressentimento.

Não se alegra com a injustiça,
mas rejubila com a verdade.

Tudo desculpa,
tudo crê,
tudo espera,
tudo suporta.

O amor jamais passará.
As profecias terão o seu fim,
o dom das línguas terminará
e a ciência vai ser inútil.

Pois o nosso conhecimento é imperfeito
e também imperfeita é a nossa profecia.

Mas, quando vier o que é perfeito,
o que é imperfeito desaparecerá.

Quando eu era criança,
falava como criança,
pensava como criança,
raciocinava como criança.
Mas, quando me tornei homem,
deixei o que era próprio de criança.
Agora, vemos como num espelho,
de maneira confusa;
depois, veremos face a face.

Agora, conheço de modo imperfeito;
depois, conhecerei como sou conhecido.

Agora permanecem estas três coisas:
a fé,
a esperança
e o amor;
mas a maior de todas
é o amor.

23 março, 2007

Via Sacra - Décima Quarta Estação


Jesus é depositado no sepulcro



Evangelho segundo São Lucas 23, 50-54


Um membro do Conselho, chamado José, homem recto e justo, não tinha concordado com a decisão nem com o procedimento dos outros. Era natural de Arimateia, cidade da Judeia, e esperava o Reino de Deus. Foi ter com Pilatos, pediu-lhe o corpo de Jesuse, descendo-o da cruz, envolveu-O num lençol e depositou-O num sepulcro talhado na rocha, onde ainda ninguém tinha sido sepultado. Era o dia da Preparação e já brilhavam as luzes do sábado.

  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 22 março, 2007

    Via Sacra - Décima Terceira Estação


    Jesus morre na Cruz

    Evangelho segundo São Lucas 23, 44-46
    Por volta da hora sexta, as trevas cobriram toda a terra, até à hora nona, por o sol se haver eclipsado. O véu do Templo rasgou-se ao meio, e Jesus exclamou, dando um grande grito: "Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito". Dito isto, expirou.



  • Via Sacra Coliseu 2004


  • Meditação
  • 21 março, 2007

    Via Sacra - Décima Segunda Estação


    Jesus na Cruz, a Mãe e o Discípulo

    Evangelho segundo São João 19, 25-27

    Junto da cruz de Jesus, estavam sua mãe,a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas e Maria de Magdala.Ao ver sua mãe e, junto dela, o discípulo que Ele amava,Jesus disse a sua mãe: "Mulher, eis aí o teu filho".Depois disse ao discípulo: "Eis aí a tua mãe".E, desde aquela hora, o discípulo recebeu-A em sua casa.

  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 20 março, 2007

    Via Sacra - Décima Primeira Estação


    Jesus promete o seu Reino ao bom ladrão


    Evangelho segundo São Lucas 23, 33-34.39-43

    Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, crucificaram-n'O a Ele e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda. Jesus dizia: "Perdoa-lhes, ó Pai, porque não sabem o que fazem".(...)Um dos malfeitores, que tinham sido crucificados, insultava-O, dizendo: "Não és Tu o Messias? Salva-Te a Ti mesmo e a nós também". Mas o outro, tomando a palavra, repreendeu-o: "Nem sequer temes a Deus, tu que sofres o mesmo suplício? Quanto a nós, fez-se justiça pois recebemos o castigo que as nossas acções mereciam, mas Ele nada praticou de condenável". E acrescentou: "Jesus, lembra-Te de mim quando estiveres no teu reino". Ele respondeu-lhe: "Em verdade te digo: Hoje estarás Comigo no Paraíso".

  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 19 março, 2007

    Dia de S. José - Dia do Pai



    Oração a S. José

    Glorioso S. José, que tiveste o ofício de educar a Humanidade do Filho de Deus, abençoa os Pais para que saibam educar os seus filhos, cumprindo a grande missão da paternidade.

    S. José, primeiro trabalhador cristão, ajuda-nos a santificar o nosso trabalho, fazendo-o como tu, com perfeição humana e por amor a Deus e aos nossos irmãos, os homens.

    S. José, Mestre da vida interior que, mais e melhor do que ninguém, conviveste com Jesus e com Maria, concede-nos a graça de conviver com Eles cada dia com maior intimidade.

    16 março, 2007

    Via Sacra - Décima Estação


    Jesus é crucificado


    Evangelho segundo São Lucas 23, 33.47b


    Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, crucificaram-n'O a Ele e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda.(...) O centurião deu glória a Deus, dizendo: "Verdadeiramente, este homem era justo!"

  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 15 março, 2007

    Via Sacra - Nona Estação


    Jesus encontra as mulheres de Jerusalém


    Evangelho segundo São Lucas 23, 27-31


    Seguiam-n'O uma grande massa de povo e umas mulheres que se lamentavam e choravam por Ele. Jesus voltou-Se para elas e disse-lhes: "Filhas de Jerusalém, não choreis por Mim, chorai antes por vós mesmas e pelos vossos filhos, pois virão dias em que se dirá: 'Felizes as estéreis, os ventres que não geraram e os peitos que não amamentaram'. Hão-de então dizer aos montes: 'Caí sobre nós!', e às colinas: 'Cobri-nos'. Porque se tratam assim a madeira verde, o que acontecerá à seca?"

  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 14 março, 2007

    Via Sacra - Oitava Estação


    Jesus é ajudado pelo Cireneu a levar a Cruz


    Evangelho segundo São Lucas 23, 26


    Quando O iam conduzindo,lançaram mão de um certo Simão de Cirene, que voltava do campo,e carregaram-no com a cruz, para a levar atrás de Jesus.



  • Via Sacra Coliseu 2004


  • Meditação
  • 13 março, 2007

    Via Sacra - Sétima Estação


    Jesus é carregado com a Cruz


    Evangelho segundo São Marcos 15, 20


    Depois de O terem escarnecido, tiraram-Lhe o manto de púrpurae vestiram-Lhe as suas roupas. Levaram-n'O, então, para fora para O crucificarem.

  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 12 março, 2007

    Via Sacra - Sexta Estação


    Jesus é flagelado e coroado de espinhos



    Evangelhos segundo São Lucas e São JoãoLc 22, 63-65; Jo 19, 2-3


    Entretanto os que guardavam Jesustroçavam d'Ele e maltratavam-n'O.Cobriam-Lhe o rosto e perguntavam-Lhe: "Adivinha! Quem Te bateu?"E muitos outros insultos proferiram contra Ele.
    E os soldados, depois de tecerem uma coroa com espinhos,puseram-Lha na cabeçae envolveram-n'O com um manto de púrpura.Depois avançavam para Ele e diziam:"Salve, ó Rei dos Judeus"!



  • Via Sacra Coliseu 2004


  • Meditação
  • 09 março, 2007

    Via Sacra - Quinta Estação

    Jesus é julgado por Pilatos

    Evangelho segundo São Lucas 23, 13-25

    Pilatos convocou os príncipes dos sacerdotes, os chefes e o povo, e disse-lhes: "Trouxestes este Homem à minha presença como andando a revoltar o povo. Interroguei-O diante de vós e não encontrei n'Ele nenhum dos crimes de que O acusais. Herodes tão-pouco, visto que no-Lo mandou de novo. Como vedes, Ele nada praticou que mereça a morte. Vou, portanto, libertá-Lo, depois de O castigar".(...) E todos se puseram a gritar: "Dá morte a esse e solta-nos Barrabás!" Este último foi metido na prisãopor causa de uma insurreição desencadeada na cidade e por um homicídio. De novo Pilatos lhes dirigiu a palavra, querendo libertar Jesus. Mas eles gritavam: "Crucifica-O! Crucifica-O!" Pilatos disse-lhes pela terceira vez:"Que mal fez ele então? Nada encontrei n'Ele que mereça a morte. Libertá-Lo-ei, portanto, depois de O castigar". Mas eles insistiam em altos brados, pedindo que fosse crucificado, e os seus clamores aumentavam de violência. Pilatos, então, decretou que se fizesse o que eles pediam. Libertou o que fora preso por sedição e homicídio como eles reclamavam, e entregou-lhes Jesus para o que eles queriam.

  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 08 março, 2007

    Via Sacra - Quarta Estação


    Jesus é renegado por Pedro


    Evangelho segundo São Lucas 22, 54b-62


    Pedro seguia Jesus de longe. Como tivessem acendido uma fogueira no meio do pátio e se tivessem sentado, Pedro sentou-se no meio deles. Ora, uma criada, ao vê-lo sentado ao lume, fitando-o, disse: "Este também estava com Ele". Mas Pedro negou-o, dizendo: "Não O conheço, mulher". Pouco depois, disse outro, ao vê-lo: "Tu também és dos tais". Mas Pedro disse: "Homem, não sou". Cerca de uma hora mais tarde, um outro asseverou com insistência: "Com certeza este também estava com Ele, pois até é galileu". Pedro respondeu: "Homem, não sei o que dizes". E, no mesmo instante, estando ele ainda a falar, cantou um galo. Voltando-Se, o Senhor fixou os olhos em Pedro, e Pedro recordou-se da palavra do Senhor, quando lhe disse: "Antes de o galo cantar, negar-Me-ás três vezes". E, vindo para fora, chorou amargamente.


  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 07 março, 2007

    Via Sacra - Terceira Estação


    Jesus é condenado pelo Sinédrio


    Evangelho segundo São Lucas 22, 66-71

    Quando se fez dia, reuniu-se o Conselho dos anciãos do povo, príncipes dos sacerdotes e escribas, os quais O levaram ao seu tribunal. Disseram-Lhe: "Declara-nos se Tu és o Messias". Ele respondeu-lhes: "Se vo-lo disser, não Me acreditareis e, se vos perguntar, não respondereis. Mas o Filho do Homem sentar-Se-á, doravante, à direita do poder de Deus". Disseram todos:"Tu és, então, o Filho de Deus? "Ele respondeu-lhes: "Vós o dizeis, Eu sou". Então, exclamaram: "Que necessidade temos já de testemunhas? Nós próprios o ouvimos da sua boca".



  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 06 março, 2007

    Via Sacra - Segunda Estação


    Jesus, atraiçoado por Judas, é preso


    Evangelho segundo São Lucas 22, 47-48


    Ainda Jesus estava a falar quando surgiu uma multidão de gente,precedendo-os um dos doze, chamado Judas,que caminhava à frente, e aproximou-se de Jesus para O beijar.Jesus disse-lhe: "Judas, é com um beijo que entregas o Filho do Homem?"

  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 05 março, 2007

    Via Sacra - Primeira Estação

    Jesus no Horto das Oliveiras
    Evangelho segundo São Lucas 22, 39-46

    Jesus saiu, então, e foi, como de costume, para o monte das Oliveiras.E os discípulos seguiram também com Ele.Quando chegou ao local, disse-lhes: "Orai para que não entreis em tentação".Depois afastou-Se bruscamente delesaté à distância de um tiro de pedra, aproximadamente,e, posto de joelhos, começou a orar dizendo:"Pai, se quiseres, afasta de Mim este cálice,não se faça, contudo, a minha vontade mas a tua".Então vindo do Céu, apareceu-Lhe um anjo que O confortava.Cheio de angústia, pôs-se a orar mais instantementee o suor tornou-se-Lhe como grossas gotas de sangue, que caíam na terra.Depois de ter orado, levantou-Se e foi ter com os discípulosencontrando-os a dormir devido à tristeza. Disse-lhes:"Porque dormis? Levantai-vos e orai, para que não entreis em tentação".



  • Via Sacra Coliseu 2004

  • Meditação
  • 01 março, 2007

    Quaresma

    Monte Tabor



    Dizem-me que Jesus veio ao deserto para rezar,
    para enfrentar conflitos fortes,
    para ir mais longe na compreensão,
    da sua identidade,
    da sua missão,
    para encontrar a presença de Deus.

    Estes são os dias fortes.
    Os dias do treino e da luta.
    da mochila leve e do passo rápido.

    Tempo de caminhar e discernir,
    de conversão e decisão.
    Tempo das tentações e da graça
    no deserto e no silêncio.

    É o tempo dos projectos de vida,
    das decisões e das rupturas
    e, às vezes da transfiguração.

    É o tempo da humanidade ferida
    que anseia por terra prometida.
    São os dias das tentações,
    dos tabores e das conversões,
    da cegueira curada e da água viva.
    Tanto em apenas quarenta dias!

    Este é o tempo das pessoas novas,
    daquelas que cortaram as amarras
    de ídolos falsos e vaidades ocas.
    Daqueles que se deixam guiar apenas
    pelo desejo grande
    de caminhar até ao abraço
    de um Pai misericordioso.

    (Revista Catequistas nº26)